domingo, 10 de julho de 2011

SAUDADES...

Pensamos que a saudade foi feita para machucar, mas o tempo passa e percebemos que ela é a maneira mais certa de vermos o quando gostamos de alguém.




Saudade. O que é saudade?

Saudade de um amor, de um amigo, de um objeto... Saudade quer dizer que algo foi bom o suficiente pra você sentir falta daquilo na sua vida... Saudade de uma risada, de um abraço, de um momento... Saudade de tudo, de todos... Saudade é uma dor interminavel, é um vazio que sufoca... é um sentimento que se mistura aos outros, é também uma forma de amor.
Mas a saudade mais dolorida é a saudade de quem se ama. Saudade da pele, do cheiro, dos beijos. Saudade da presença, e até da ausência consentida. Você podia ficar na sala e ela no quarto, sem se verem, mas sabiam-se lá. Você podia ir para o aeroporto e ela para o dentista, mas sabiam-se onde. Você podia ficar o dia sem vê-la, ela o dia sem vê-lo, mas sabiam-se amanhã. Mas quando o amor de um acaba, ao outro sobra uma saudade que ninguém sabe como deter.

Saudade é não saber. Não saber mais se ela continua se gripando no inverno. Não saber mais se ela continua clareando o cabelo. Não saber se ela ainda usa a camisa que você deu. Não saber se ela foi na consulta com o dermatologista como prometeu. Não saber se ela tem comido frango de padaria, se ela tem assistido as aulas de inglês, se ela aprendeu a entrar na Internet, se ela aprendeu a estacionar entre dois carros, se ela continua preferindo Pepsi, se ela continua sorrindo, se ela continua dançando, se ela continua lhe amando.

Saudade é não saber. Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche.

Saudade é não querer saber. Não querer saber se ela está com outro, se ela está feliz, se ela está mais magra, se ela está mais bela. Saudade é nunca mais querer saber de quem se ama, e ainda assim, doer.

Quando a saudade não cabe mais dentro do peito ela transborda pelos olhos...

Nenhum comentário:

Postar um comentário